Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos

Acesso ao Extranet

Preview Grande Prêmio da Hungria24/07/2017

Milão, 24 de julho de 2017 – O Grande Prêmio da Hungria terá pneus P Zero Branco médio, P Zero Amarelo macio e P Zero Vermelho supermacio, mesma combinação do ano passado. É a quinta vez que essa seleção em particular é usada na temporada 2017, incluindo a última corrida, na Grã-Bretanha. Apesar disso, Hungaroring apresenta um grande contraste em relação a Silverstone. Apesar de ser um bem estabelecido circuito permanente, possui algumas características de pistas de rua, como curvas apertadas, aderência bem baixa e velocidade média contida. O clima pode ser extremamente quente, aumentando a degradação térmica, uma das razões pelas quais o pneu médio é levado para a Hungria.

Os três compostos selecionados

O circuito do ponto de vista do pneu

  • Hungaroring é uma incessante sequência de curvas. Os pneus trabalham constantemente.
  • Uma das mais altas temperaturas de pista da temporada passada foi registrada na Hungria, após um sábado chuvoso. A estratégia vencedora foi de duas paradas.
  • As equipes acertam os carros com altos níveis de pressão aerodinâmica, para maximizar a velocidade nas curvas. Mas a ênfase é mais na pressão mecânica do que na aerodinâmica.
  • No passado, já vimos que a entrada de safety cars pode afetar a estratégia de corrida na Hungria.
  • Ultrapassagens são notoriamente difíceis. O treino classificatório e a estratégia são cruciais.
  • Habilidade e agilidade são mais determinantes para uma volta rápida do que a potência em si.

 

Mario Isola, líder de competições de veículos da Pirelli: "A pista foi recapeada há tempo para o Grande Prêmio do ano passado. Será interessante ver o efeito dessa alteração um ano depois, com o novo asfalto já maturado. Em 2016, notamos que a superfície era mais suave e geralmente mais veloz que a anterior. As seleções de pneus das equipes tenderam para o macio e o supermacio, então obviamente esperamos que eles sejam a base de suas estratégias. A Hungria é uma pista na qual a estratégia faz a diferença, até pela dificuldade de ultrapassar. Assim, a coleta de dados na sexta e no sábado é ainda mais importante que o normal com essa nova geração de carros velozes.”

O que há de novo

  • Simultaneamente ao Grande Prêmio, acontece a maior corrida da Pirelli em termos de pneus fornecidos, as 24 Horas de Spa, na Bélgica. São mais de 10 mil pneus.
  • Após o Grande Prêmio da Hungria, acontece o segundo teste de meio de temporada do ano, com expectativa de que todas as equipes participem. Durante a programação, a Mercedes usará, ao longo de um dia, um carro que ajudará a Pirelli no desenvolvimento dos pneus slick para 2018.
  • Passando do meio da temporada, a Fórmula 1 faz um intervalo após o Grande Prêmio da Hungria, voltando no fim de agosto, na Bélgica.

 

Pressões mínimas para a largada na Áustria

18,5 psi (pneus dianteiros) e 17,5 psi (pneus traseiros)

 

 

Limites de cambagem

 

-3,75º (pneus dianteiros) e -2,00º (pneus traseiros)

 

 

Pneus selecionados até o momento

Facebook  @pirellibrazil     Twitter  @Pirelli_Br     Instagram  @pirelli_br


voltar


Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos Todos os direitos reservados @2013

by contactonet