Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos

Acesso ao Extranet

Preview Pirelli do Grande Prêmio da Itália28/08/2017

Milão, 28 de agosto de 2017 – A Pirelli levará os pneus médio, macio e supermacio para sua corrida doméstica, em Monza, assim como no ano passado. Esta seleção foi escolhida para fornecer o equilíbrio ideal entre o desempenho, na pista conhecida como o ‘templo da velocidade’; e a durabilidade, para lidar com as cargas de energia que essas altas velocidades irão colocar neles. Os carros da nova geração da F1 serão consideravelmente mais velozes nas curvas, principalmente na Parabolica e na Lesmo. Com a Itália vindo de um dos verões mais quentes de sua história, as temperaturas devem ser altas durante o fim de semana do Grande Prêmio da Itália, aumentando ainda mais a exigência sobre os pneus.

Os três compostos selecionados

O circuito do ponto de vista do pneu

  • Monza é caracterizada por longas retas. Em teoria, isso pode significar um menor intervalo de ganho entre compostos na comparação com outras pistas, devido ao arrasto extra gerado pela maior quantidade de pressão aerodinâmica gerada pelos carros deste ano.
  • Em Monza, as forças longitudinais, a aceleração e a frenagem são preponderantes em relação as forças laterais.
  • Há também algumas zebras altas, que testam a estrutura do pneu com grandes impactos.
  • Embora seja improvável que exista um aumento de velocidade máxima na Curva Grande, as velocidades de entrada para a Parabolica e a Lesmo deverão aumentar cerca de 30km/h.
  • As equipes geralmente correm com baixa pressão aerodinâmica, para maximizar as velocidades máximas. Isso pode fazer, por outro lado, com que a aceleração e frenagem sejam mais complicadas.
  • A estratégia de uma parada no box foi vencedora no ano passado, mas opções com duas e até três também foram utilizadas.
  • É um circuito que privilegia a potência. O foco é no desempenho do motor.

Mario Isola, líder de competições de veículos da Pirelli: "Com a nova geração de carros de 2017, podemos ver velocidades máximas mais baixas ou similares do que as do ano passado, porém com mais energia passando pelos pneus, devido à maior pressão aerodinâmica dos carros do novo regulamento. Esta combinação de velocidade e pressão aerodinâmica define a quantidade de trabalho que os pneus têm que fazer. A escolha do pneu também foi influenciada pelo risco de bolhas em Monza, pois há muitas áreas de frenagem em linha reta. Isso significa que a área do ombro do pneu pode sobreaquecer facilmente e, assim, causar mais bolhas em comparação com outros circuitos. No passado, Monza nos deu diferentes tipos de clima, mas após um verão muito quente, é razoável esperar temperaturas mais elevadas durante o fim de semana. Como isso influencia o comportamento dos pneus, é provável que seja o foco das sessões de treinos livres, à medida que as equipes examinam diferentes estratégias".

O que há de novo:

  • O carro da Fórmula 2 da próxima geração será lançado na área de montagem da Pirelli, em Monza, na quinta-feira. Ele será equipado com novos pneus P Zero projetados especificamente para esse fim.
  • O alemão Marijan Griebel é o novo Campeão Sub-28 do Campeonato Europeu Júnior de Rally, após vencer no Barum Czech Rally Zlin em sua categoria, com um Skoda Fabia R5 equipado com pneus Pirelli.
  • No final de semana passado, a Série Blancpain GT também correu em Budapeste, com vitória da equipe Audi WRT Team, usando o pneu Pirelli P Zero DHD.

Pressões mínimas para a largada na Bélgica

23,0 psi (pneus dianteiros) e 21,0 psi (pneus traseiros)

 

Limites de cambagem

-3,00º (pneus dianteiros) e -2,00º (pneus traseiros)

 

Pneus selecionados até o momento

Facebook  @pirellibrazil     Twitter  @Pirelli_Br     Instagram  @pirelli_br

 

 


voltar


Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos Todos os direitos reservados @2013

by contactonet